HOT TOPIC Placeholder

    Home / A sua saúde / Doenças Oncológicas / Leucemia Linfoblástica Aguda

    LEUCEMIA LINFOBLÁSTICA AGUDA

    Na Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA), as células estaminais transformam-se em células leucémicas que podem ser linfoblastos, linfócitos B ou linfócitos T. A medula óssea produz demasiados linfócitos imaturos que não são capazes de funcionar normalmente.

    As células leucémicas não são capazes de combater as infeções e aumentam no sangue e na medula óssea, havendo menos espaço para os glóbulos brancos, os glóbulos vermelhos e as plaquetas saudáveis.

     
    Em Portugal, dados de 2018, estimavam uma prevalência de 528 doentes com LLA, surgindo 107 novos casos por ano e com uma maior incidência em crianças dos 1 aos 4 anos e adultos dos 70 aos 74 anos.
     

    SINAIS E SINTOMAS DE LLA

    Muitos dos sinais e sintomas associados a esta doença estão relacionados com a diminuição dos glóbulos vermelhos, dos glóbulos brancos e das plaquetas.
    ​​​​​​​

    DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO PARA LLA

    LLA é diagnosticada através de análises ao sangue e à medula óssea.

    Compreender o Diagnóstico

    Recém 
    ​​​​​​​diagnosticada
    ​​​

    Sem tratamento prévio para LLA.

    Recidivante

    Remissão prévia da doença após tratamento, mas a LLA surgiu novamente.

    Refratária

    Sem resposta ao tratamento prévio.

    Após o diagnóstico, o seu médico irá esclarecê-lo(a) sobre as opções de tratamento disponíveis mais adequadas. Qualquer esclarecimento sobre a doença e/ou tratamentos deve ser solicitado ao seu médico.

    Tratamento

    Geralmente, o tratamento da LLA inicia-se com terapêutica de indução, na qual é usada uma combinação de fármacos cujo objectivo é destruir o maior número de células leucémicas. Posteriormente, segue-se a terapêutica de consolidação, que visa destruir potenciais células leucémicas remanescentes.

    Fases de tratamento:

    Terapêutica de indução
    O objetivo da terapêutica de indução é a remissão (redução ou desaparecimento de sinais e sintomas de leucemia) da doença, ou seja, destruir e eliminar a maioria das células leucémicas existentes permitindo restabelecer a hemapotoiese (produção de células sanguíneas) normal.

    Terapêutica de consolidação
    A terapêutica de consolidação tem início após se conseguir uma remissão da doença. Pretende destruir quaisquer células leucémicas potencialmente remanescentes, reduzindo o risco da doença voltar a desenvolver-se recivida.

    Terapêutica de manutenção
    O objectivo da terapêutica de manutenção é reduzir o risco de recivida da doença. Inicia-se após a terapêutica de consolidação e tem a duração de 2 anos.

    Opções de Tratamento

    Terapêutica dirigida ao sistema nervoso central

    A LLA pode surgir no sistema nervoso central pelo que se deverá tratar (preventivamente) o mesmo.

    Quimioterapia

    Utiliza fármacos para interromper o crescimento das células cancerígenas, destruindo-as ou impedindo a sua divisão.

    Radioterapia

    Utiliza raios X ou outros tipos de radiação para destruir células cancerígenas ou impedir o seu crescimento.

    Transplante de células estaminais

    Um procedimento no qual são utilizadas células estaminais (células que se transformam em novas células sanguíneas) para substituir células que foram destruídas pelo tratamento oncológico.

    1. Transplante autólogo: utilizando as suas próprias células estaminais que foram recolhidas e guardadas antes do tratamento.
    2. Transplante alogénico: utilizando células estaminais doadas por alguém que não seja seu gémeo idêntico. As novas células sanguíneas são transplantadas na sua corrente sanguínea através de um cateter (um tubo flexível) que é introduzido diretamente numa das suas veias.
    Terapêutica-alvo

    Um tipo de tratamento que utiliza fármacos ou outras substâncias para identificar e atacar células cancerígenas específicas, sem lesar as células normais.

    O doente deve sempre informar-se com o seu médico sobre qualquer diagnóstico e o seu seguimento. 

    Um doente de LLA, bem como os seus familiares, podem recorrer a associações de doentes para obterem informação fidedigna e apoio para a sua doença.

    Referências

    1 National Cancer Institute. Adult acute myeloid leukemia treatment (PDQ®) – patient version. 2018. Disponível via: https://www.cancer.gov/types/leukemia/patient/adult-aml-treatment-pdq [acedido em Fevereiro 2021]   
    2 Miguel LS, Paquete AT, Fiorentino F, Guerreiro R, Alarcão J, Costa J, Borges M – O Custo e a Carga das Leucemias Agudas em Portugal, 2018.
    3 Cancer Treatment Centres of América on line. Disponível via: https://www.cancercenter.com/cancer-types/leukemia/types. [acedido em Fevereiro 2021] 
    4 National Cancer Institute. NCI Dictionary of cancer terms. 2018. Disponível via: https://www.cancer.gov/publications/dictionaries/cancer-terms [acedido em Fevereiro 2021]
    5 Cancer Research UK. General cancer information: Stem cell transplants. Disponível via: http://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/cancer-in-general/treatment/bone-marrow-stem-cell-transplants/ stem-cell-transplants [acedido em Fevereiro 2021]
       PP-PFE-PRT-0552
    Doenças Oncológicas
    • » Leucemia Linfoblástica Aguda

    • » Leucemia Mieloide Aguda

    • » Leucemia Mieloide Crónica

    • » Cancro do Pulmão

    • » Cancro da Mama Metastático

    Associação Portuguesa contra a Leucemia
    Rua Nunes Claro nº 8C, 1000-209 Lisboa
    Tel:  213 422 204 / 213 422 205; 
    E-mail:  geral@apcl.pt
    Website:  www.apcl.pt/

     

    SOBRE A PFIZERPfizer em PortugalWorkshops Pfizer CuriousA NOSSA CIÊNCIAÁreas de Investigação prioritáriasApoio à InvestigaçãoInformação MédicaFarmacovigilânciaPipeline OPORTUNIDADES DE CARREIRAPfizer GeniousA SUA SAÚDEDoenças Imunológicas e InflamatóriasDoenças RarasDoenças Cardiovasculares e MetabólicasDorDoenças Anti-infeciosasDoenças OncológicasVacinasCONTACTOS