Skip directly to content

Dor

DOR é, segundo a definição da International Association for the Study of Pain (IASP), uma experiência sensorial e emocional desagradável associada, ou semelhante à associada, a danos reais ou potenciais nos tecidos. As repercussões socioeconómicas da dor são significativas pelos custos envolvidos no recurso frequente aos serviços de saúde e despesas com a terapeutica.

A dor constitui um dos principais motivos para a procura de cuidados de saúde por parte da população em geral. Para além do sofrimento e da redução da qualidade de vida, provoca alterações fisiopatológicas que vão contribuir para o aparecimento de comorbilidades e alterações orgânicas e psicológicas e podem conduzir à perpetuação do fenómeno doloroso.
 

Dor Aguda
 

A dor pode ser aguda quando é de início recente e de provável duração limitada, havendo normalmente, uma relação temporal e /ou causal bem definida. É um sintoma muito importante para o diagnóstico de várias doenças, sendo a principal causa de procura de cuidados de saúde pela população em geral

Dor Crónica
 

A dor pode ser crónica quando, de forma contínua ou recorrente, existe há 3 meses ou mais, ou quando persiste para além do curso normal de uma doença aguda ou da cura da lesão que lhe deu origem.

A dor crónica tem impacto na pessoa muito para além do sofrimento que lhe causa, nomeadamente sequelas psicológicas, isolamento, incapacidade e perda de qualidade de vida. Esse impacto pode ultrapassar a própria pessoa e envolver a família, cuidadores e amigos.

A dor crónica, ao persistir para além da cura da lesão que lhe deu origem ou na impossibilidade de objetivação de lesão, deve ser encarada não como um sintoma mas antes como uma doença por si só, conforme reconhecido pela European Federation of Pain (EFIC) em 2001.

A prevalência da dor crónica na população portuguesa adulta excede os 30% e quando considerada apenas a dor de intensidade moderada a forte excede os 14% (Azevedo et al, 2012). Em Portugal não são conhecidos dados relativos à população pediátrica. 

Referências:

1 Azevedo, et al. Epidemiology of Chronic Pain: A Population-Based Nationwide Study on Its Prevalence, Characteristics and Associated Disability in Portugal. The Journal of Pain, Vol 13, No 8 (August), 2012: pp 773-783
2 Direção Geral da Saúde | DGS,  Programa Nacional para a Prevenção e Controlo da Dor Lisboa: Direção-Geral da Saúde, (2017)

PP-PFE-PRT-0411